RJ: Ônibus é furtado na Barra da Tijuca durante paralisação das 3 linhas do BRT

Motoristas do serviço fazem uma paralisação nesta segunda (30) por causa do parcelamento do 13º em cinco parcelas

Jaqueline Frizon e Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro
30 de novembro de 2020 às 16:37 | Atualizado 30 de novembro de 2020 às 18:36


Um ônibus do sistema BRT foi furtado na tarde desta segunda-feira (30) na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Motoristas do sistema fazem uma paralisação hoje por causa do parcelamento do 13º em cinco vezes. O responsável pelo furto foi detido. 

A prefeitura do Rio informou que a cidade entrou em estágio de mobilização em função da interrupção da operação do sistema – os serviços nos seus três corredores (Transoeste, Transcarioca e Transolímpica) foram interrompidos na tarde de hoje.

Em nota, o BRT Rio diz que parcelamento do 13º salário é decorrente do colapso financeiro enfrentado pelo serviço desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Leia e assista também

Rio: TRE aciona PF contra greve de motoristas de ônibus em dia de eleição

Rio: Após TRE acionar Polícia Federal, greve de motoristas de ônibus termina

Ônibus é roubado na Barra da Tijuca durante paralisação das 3 linhas do BRT
Foto: CNN (30.nov.2020)

Transtornos

A CNN esteve no Terminal Alvorada, e encontrou passageiros dividindo o pagamento de aplicativos de transportes para voltar para cada depois do dia de trabalho. Os funcionários recusaram a proposta de pagamento do 13º salário em cinco parcelas, em tentativa de acordo mediado pelo Ministério Público do Trabalho. Assim, o pagamento se estenderia até março de 2021. Os funcionários queriam 50% nesta segunda-feira, mas só receberam 20%. A paralisação continua nesta terça-feira. 

O BRT é um sistema de transporte que utiliza corredores expressos exclusivos para ônibus articulados, com estações próprias para eles. O BRT Transolímpica liga o Recreio dos Bandeirantes a Deodoro, bairros da Zona Oeste. Em Deodoro, os passageiros acessam a rede ferroviária. 

Ao todo, são três serviços, com 139 estações em 44 bairros, e que, somados, já chegaram a atingir a marca de 1 milhão de passageiros transportados por dia. Atualmente, o serviço sofre com insegurança, com estações fechadas pela violência, depredadas e até mesmo queimadas. Segundo a concessionária, há 53 estações fechadas. Atualmente, o número diário de passageiros transportados está em cerca de 180 mil, o equivalente a 58% do patamar anterior à pandemia. 

O BRT Transcarioca liga a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, cruzando boa parte da Zona Norte nesse caminho.  Já o BRT Transoeste liga a Barra da Tijuca, a Santa Cruz e Campo Grande, todos bairros da Zona Oeste. 

O município entrou em estágio de mobilização desde as 15h desta devido à interrupção do BRT e por conta da previsão de chuva.

Em nota, o consórcio BRT informou que o parcelamento do 13º salário é decorrente do colapso financeiro enfrentado pelo serviço desde o início da pandemia de Covid-19, e que negocia com o Sindicato dos Rodoviários esse procedimento, sob o risco de parar definitivamente as atividades. 

Ainda de acordo com o consórcio, o restante do pagamento dos salários será informado em até 15 dias, por causa das negociações com o sindicato. 

A Supervia, concessionária do serviço ferroviário, informou que colocará trens extras partindo da Estação Olímpica do Engenho de Dentro, na Zona Norte, e da Central, para Santa Cruz, na Zona Oeste, por causa da paralização dos serviços do BRT.

Motoristas do sistema BRT fazem uma paralisação por causa do parcelamento do 13º em cinco parcelas
Foto: CNN (30.nov.2020)