Sidney Rezende: Fachin acerta ao priorizar fluidez de gestões universitárias

No quadro Liberdade de Opinião, Sidney Rezende avaliou decisão de Edson Fachin sobre lista tríplice das universidades federais na indicação de reitores

Da CNN, em São Paulo
11 de dezembro de 2020 às 10:46


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, decidiu que o governo de Jair Bolsonaro deve seguir a lista tríplice das universidades federais na indicação de reitores. No quadro Liberdade de Opinião desta sexta-feira (11), Sidney Rezende avaliou que a decisão é correta, pois um reitor selecionado de fora da área acadêmica poderia ter problemas de conduzir uma "administração fluida".

Leia também:

Fachin decide que Bolsonaro deve respeitar lista tríplice de universidades
Planalto pressionou Pazuello a mudar estratégia da vacina em reunião na segunda

"A decisão [dos reitores] é sempre política, ela não é político-partidária ou ideológica, mas não deixa de ser uma decisão política que passa pela administração. O que professores da área acadêmica dizem é que se colocar um reitor com nenhum conhecimento da gestão de universidade, nenhuma identificação com o mundo acadêmico, não há sensibilidade para entender a importância da universidade para a uma sociedade. Tudo indica que não fará um administração fluida, isenta, aí que entra o político-partidário no meio, pois tem gente dizendo que há bolsonaristas se inscrevendo para entrar numa lista tríplice para quando chegar lá em cima, o presidente ou ministro da Educação influir sobre aquele nome", analisou Rezende.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (11.dez.2020)

(Publicado por Leonardo Lellis)