Operação Navio Fantasma desmonta esquema para fraudar seguro no DF

Suspeitos compravam carros em leilões, abaixo do preço de mercado, e depois provocavam acidente

Vianey Bentes, da CNN, em Brasília
15 de dezembro de 2020 às 10:55
Operação Navio Fantasma mirou grupo que aplicava golpes em seguradoras
Foto: Divulgação/Polícia Civil


A Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais da Polícia Civil do Distrito Federal está nas ruas com a operação "Navio Fantasma" na manhã desta terça-feira (15) para cumprir 12 mandados de busca e apreensão contra uma organização criminosa, que atua em Brasília, simulando acidentes de carros e lanchas para receber dinheiro de seguro.

De acordo com a Polícia, os investigados compravam carros de luxo em leilões, por um preço muito abaixo do mercado. E logo depois, era simulada a venda para outro integrante da organização por um preço maior, utilizando uma empresa fantasma.

A partir daí, o comprador do veículo, procurava uma seguradora, para avaliar o carro segundo a tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), com um valor do veículo acima do que foi pago no leilão. 

Leia e assista também

Bombeiros controlam incêndio causado por suspeito de tentar fraudar seguro

Segundo as investigações, os acidentes forjados sempre atingiam a coluna central do veículo, causando perda total. Entre os veículos destruídos estão três BMWs, um Porsche e um Chrysler. O grupo atuava desde 2019 e teria lucrado R$ 2 milhões com o esquema.

A organização também incendiava embarcações, com o mesmo objetivo de fraudar o seguro — vem daí o nome da operação. Uma  embarcação de 15 metros de comprimento foi incendiada no Lago Corumbá, em Caldas Novas (GO), em dezembro de 2019, gerando um lucro de R$ 750 mil para o grupo criminoso. 

As investigações mostraram que nos últimos dois anos, essa organização provocou cinco acidentes automobilísticos, em que foram destruídos dez carros, dois a cada acidente. Os acidentes aconteceram na BR- 070, perto da Penitenciária da Papuda, e no Setor de Clubes Esportivos a 22 minutos do Centro de Brasília.

Os mandados estão sendo cumpridos no Lago Sul e  Asa Norte, em Brasília, e em Vicente Pires, Taguatinga, Guará, Águas Claras e Núcleo Bandeirante, cidades satélites. Também foram apreendidos diversos armamentos nos endereços ligados aos suspeitos.