Ministério Público de Goiás aceita novas denúncias contra João de Deus

Segundo apontam os promotores de Justiça, esses crimes aconteceram entre 1999 e 2018,

Will Marinho, da CNN, em São Paulo
16 de dezembro de 2020 às 17:11 | Atualizado 16 de dezembro de 2020 às 17:49


 

 
O Ministério Público de Goiás recebeu a 13ª denúncia contra João Teixeira de Faria (João de Deus), pela prática de estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude, envolvendo 18 mulheres. O ex-medium foi condenado a mais de 60 anos de prisão pela Justiça de Goiás.


Leia e assista também:

Dois hospitais de São Paulo têm ocupação máxima de leitos de UTI para Covid-19
Ministério da Saúde vai comprar vacina do Butantan ainda nesta semana

De acordo com a assessoria do MP-GO, já foi recebido 12 denúncias contra o João de Deus. A 13° se engloba aos processos anteriores. Segundo os promotores do caso Ariane Patrícia Gonçalves e Luciano Miranda, para a nova denúncia foram apresentadas provas como: relatos, testemunhos, fotografias e documentos.


João de Deus ficou preso entre dezembro de 2018 e março de 2020, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Por quanto de sua idade (79 anos) foi enquadrado como grupo de risco para a Covid-19, e foi liberado para cumprir a pena em sua casa em Abadiânia (GO).

O líder religioso João de Deus foi preso em dezembro de 2018 

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil


Procurada pela imprensa, a defesa disse que “O médium sustenta a sua inocência e no curso do processo a comprovará.”  Leia a nota na íntegra:

"Acerca da nova denúncia apresentada na data de ontem, 15/12/2020, contra Joao Teixeira de Faria, na verdade trata-se de mais um pernicioso capítulo da estratégia do Ministério Público do Estado de Goiás que vem fazendo do processo judicial um verdadeiro espetáculo público, e estrategicamente, apresenta nova denúncia exatamente na data em que completou dois anos da prisão do médium e se utiliza deste expediente para reacender e inflacionar o sentimento de ódio contra Joao de Deus.

O médium sustenta a sua inocência e no curso do processo a comprovará. Atualmente, às vésperas de completar 80 anos (faltam 6 meses), está sob as condições da prisão domiciliar e vem se recuperando de cirurgia cardíaca realizada em 04/11/2020 no Hospital Sírio Libanês em Brasília, onde permanece com o tratamento."

(Com informações de Noeli Menezes e Kevin Lima )