MG: Em Mariana, moradores só podem ir ao mercado em dias designados pelo CPF

A medida, de acordo com pronunciamento da prefeitura, visa diminuir o risco de aglomerações nas lojas durante as compras para as festas de fim de ano

Luana Franzão*, da CNN, em São Paulo
17 de dezembro de 2020 às 11:55
Aglomeração dentro de supermercado em Recife (PE), no dia 10/12/2020
Foto: JÚLIO GOMES/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

A prefeitura da cidade de Mariana, em Minas Gerais, anunciou nesta quinta-feira (17) que os grandes supermercados devem começar, a partir do mesmo dia, a limitar o acesso de clientes às lojas de acordo com o último dígito do Cadastro de Pessoa Física, o CPF.

O sistema funciona assim: nos dias pares do mês, apenas cidadãos com o último dígito do CPF par (0,2,4,6 ou 8) terão acesso a fazer compras prenciais nos supermercados da cidade. Desta forma, os cidadãos com o final do CPF ímpar (1,3,5,7 ou 9), poderão fazer o mesmo em dias ímpares do mês.

A medida, de acordo com pronunciamento da prefeitura, visa diminuir o risco de aglomerações nas lojas durante as compras para as festas de fim de ano, de forma a reduzir a possibilidade de transmissão da Covid-19 nesses ambientes.

Leia mais:
SP mantém vacinação em 25/1, apesar da intenção da Saúde de comprar a Coronavac
Covid-19: Em novo recorde, EUA têm mais de 3.500 mortes e 240 mil casos em 1 dia
São Paulo confirma 1º caso de reinfecção pelo novo coronavírus no estado

Na cidade de Mariana, a Secretaria de Saúde confirmou 2.913 casos da doença e 24 mortes. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cidade possui cerca de 61 mil habitantes.

O Brasil enfrenta uma tendência de aumento de casos e mortes pelo novo coronavírus nas últimas semanas. Nesta quarta-feira (16), o país bateu a marca de 7 milhões de casos confirmados e registrou o maior aumento diário de casos desde julho, com 70.574 registros em 24 horas.

As festas de fim de ano que se aproximam preocupam especialistas, devido às reuniões entre familiares e amigos, que podem ajudar a propagar a doença.