CEO da Marisa: varejo precisa de distanciamento no Natal para não fechar depois

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
20 de dezembro de 2020 às 00:05

O CEO das Lojas Marisa, Marcelo Pimentel, recomenda cautela ao varejo com as medidas de distanciamento social para combater o coronavírus durante as vendas de Natal. Ele acredita que boas práticas agora podem evitar fechar as portas das lojas em janeiro. 

“É muito importante proteger os clientes e dar continuidade aos negócios. Não podemos chegar a um momento de não conseguir manter as lojas abertas por abuso da sociedade”, disse Pimentel em entrevista ao CNN Líderes.

Ele conta que a principal medida da rede para evitar aglomerações em suas lojas, sejam de rua ou de shopping, é cuidar do fluxo de pessoas, respeitando os limites definidos pelas prefeituras.

Assista e leia também

Odebrecht muda nome para Novonor na tentativa de se afastar de escândalos

Após ter nome associado ao vírus da Covid-19, cerveja Corona dá a volta por cima

Apesar do crescimento dos casos de coronavírus no país, tem sido comum imagens de aglomerações no varejo, principalmente em regiões tradicionais do comércio de rua como o Brás em São Paulo.

A pandemia do novo coronavírus atingiu as Lojas Marisa em meio à um processo de reestruturação para tentar voltar a ter lucro. Segundo Pimentel, a coincidência foi mais “frustrante” do que “difícil”.

O executivo diz que a empresa já vinha atuando como uma estrutura de custo muito enxuta e voltada para a digitalização, mas reconhece que a pandemia “brecou” o processo de reestruturação.

“Em 2019 já tínhamos conseguido quatro trimestre consecutivos de crescimento de vendas. Em 2020 o plano era melhorar a margem e entregar o resultado, mas, com a pandemia, não foi possível”, disse. 
Pimentel garante, no entanto, que a companhia vai voltar ao azul em 2021.

A reestruturação da Marisa está focada em suas origens: reconquistar as consumidoras de classe C.