Rio terá restrições por áreas da cidade; cidadão terá app para relatar sintomas

Cada região será classificada como de risco médio, alto ou muito alto

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
28 de dezembro de 2020 às 15:58 | Atualizado 28 de dezembro de 2020 às 18:06
 

 

Para tentar controlar o avanço da epidemia do novo coronavírus, a prefeitura do Rio vai adotar medidas específicas que irão variar de acordo com a região da cidade. No próximo dia 3, já depois de empossado como prefeito, Eduardo Paes (DEM) anunciará também a criação de um aplicativo para facilitar o atendimento de pessoas que tenham sintomas da Covid-19.
  
De acordo com a proposta elaborada com o futuro secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, as restrições a serem implantadas levarão em conta a situação da epidemia — número de casos e de mortes — nas 33 regiões administrativas da cidade. 

Leia e assista também

RJ fechará toda a orla no Réveillon e fará barreiras nos limites do município

12 cidades do litoral de São Paulo mantêm a fase amarela e têm praias lotadas

Cada uma delas será classificada como de risco médio, alto ou muito alto. Na prática, isso poderá fazer com que o comércio seja limitado ou mesmo fechado em um conjunto de bairros e liberado em outros.

Já o aplicativo para celulares permitirá que moradores da cidade relatem a existência de sintomas da doença. Um profissional de saúde entrará em contato com autor da demanda e, se houver necessidade, agendará a realização de exames para a detecção do coronavírus e o encaminhará para uma unidade de saúde mais próxima de sua casa. 

Além dessas, outras medidas serão anunciadas em conjunto com o governo do estado.