Covid-19 faz RJ prorrogar estado de calamidade até julho de 2021

São 25.078 vítimas fatais da doença, o que coloca o estado na condição de segundo com maior número de óbitos na pandemia, atrás apenas de São Paulo

Stéfano Salles, da CNN no Rio
30 de dezembro de 2020 às 08:43
Vista do Cristo Redentor no Rio de Janeiro (RJ)
Foto: Glauber Sampaio/Unsplash

Em edição extra do Diário Oficial do Estado, o governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), prorrogou na noite desta terça-feira o estado de calamidade até 1º de julho de 2021, por causa da pandemia do novo coronavírus. Até então, de acordo com o decreto anterior, o instrumento funcionaria até 31 de dezembro. 

Essa é a segunda prorrogação do estado de calamidade no Rio de Janeiro. Ele foi declarado em 16 de março desse ano e valeu até 1º de setembro, quando foi renovado pela primeira vez. A decisão veio por meio de um decreto. 

Leia também:
Polícia do RJ já registrou 510 casos de infração a medidas contra pandemia
Luta contra a Covid-19 avança com remédio imunizante e mais 2 vacinas na fase 3
Com 1,5 milhão de doses, último lote da Coronavac chega a São Paulo

O reconhecimento do estado de calamidade oferece ao Executivo maior margem de manobra no orçamento, garantindo flexibilidade e permissão para que alguns artigos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) não sejam rigidamente obedecidos, devido ao momento especial enfrentado. 

De acordo com o último Boletim Coronavírus, divulgado na própria terça-feira, pelo governo do estado, o Rio superou a barreira dos 25 mil mortos pela Covid-19.

São 25.078 vítimas fatais da doença, o que coloca o estado na condição de segundo com maior número de óbitos na pandemia, atrás apenas de São Paulo. Ao todo, foram registrados também 426.259 casos confirmados. Nessa modalidade, o Rio aparece na sexta posição.