Arcebispo emérito do Rio de Janeiro morre aos 89 anos de Covid-19


Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
13 de janeiro de 2021 às 16:32 | Atualizado 13 de janeiro de 2021 às 16:55
Cardeal Eusébio Scheid
O cardeal Eusébio Scheid, que morreu nesta quarta-feira, 13 de janeiro, aos 89 anos, vítima da Covid-19
Foto: Divulgação/CNBB

O arcebispo emérito do Rio de Janeiro, cardeal Eusébio Oscar Scheid, morreu nesta quarta-feira (13), vítima de uma insuficiência respiratória aguda, relacionada com a Covid-19. Scheid tinha 89 anos e vivia em São José dos Campos (SP), onde faleceu.

Nascido em Luzerna (SC) em 1932, o cardeal Eusébio Scheid era padre há 60 anos. Foi promovido a cardeal em 2003 pelo Papa João Paulo II. Dois anos depois, foi um dos religiosos participantes do conclave que elegeu o Papa Emérito Bento XVI.

A informação da morte do religioso foi confirmada pelo Vaticano, pela Diocese de São José dos Campos (SP) e pela Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

Em nota, o Dom Walmor de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte e presidente da CNBB, lamentou a morte do cardeal Scheid. "Recordar esse nosso irmão é falar de sua dedicação e preocupação com a formação do clero, além de seu incentivo à evangelização e à organização de pastoral", escreveu a posição da entidade.

A diocese de São José dos Campos enalteceu a atuação do cardeal Scheid. "Agradecemos por tudo o que fez pela nossa diocese e demais igrejas particulares onde pastoreou. Seu ministério foi marcado pela preocupação na formação do clero, no incentivo à evangelização e na organização da pastoral", diz nota de pesar.

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), também se manifestou. Pelas redes sociais, Castro afirmou que "Dom Eusébio trilhou um caminho importante para a história da Igreja". "Sua missão foi marcada pela formação do clero e evangelização, alcançando assim muitos corações", completou.