Garcia: Estado de defesa no Brasil só se houvesse uma supercalamidade

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (21), o jornalista comenta a manifestação do procurador-geral da República, Augusto Aras

Da CNN, em São Paulo
21 de janeiro de 2021 às 10:54


No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (21), o jornalista Alexandre Garcia comenta o texto divulgado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, em que menciona a possibilidade de decretação do estado de defesa, depois de abrir investigação criminal para apurar a responsabilidade de autoridades sobre a falta de oxigênio para pacientes no Amazonas.

"O sujeito é cobrado por não ter dito aquilo que eu queria ouvir. O que Aras comentou é o que está na Constituição. E o procurador ainda foi falar em estado de defesa, que seria sim o passo seguinte se houvesse uma supercalamidade, como muita gente torce, para parar tudo no Brasil. Não é o caso, absolutamente não é o caso de um estado de defesa nesse momento", avalia.

Garcia diz quais devem ser os próximos passos. "Se há crime comum, o julgamento é no Supremo; se é de responsabilidade, é questão do Congresso. O caso de Manaus é claro que é crime comum, não tem o que discutir, já foi presa a secretária de Saúde (do Amazonas, Simone Papaiz, em operação da Polícia Federal sobre desvio na compra de respiradores). Estão dizendo que não se sabe onde estão 60 mil doses da vacina. É crime comum sim, tem que investigar. O Ministério Público está investigando". 

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN. As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN Brasil ou seus funcionários.