Apesar de alto risco de contágio, domingo tem praias lotadas no Rio de Janeiro

Luiza Muttoni e Isabelle Resende, da CNN Brasil, no Rio
24 de janeiro de 2021 às 12:11 | Atualizado 25 de janeiro de 2021 às 08:21

 

 

Final de semana em pleno verão é sinônimo de praias lotadas no Rio de Janeiro. E mesmo com o boletim epidemiológico da prefeitura apontando para 100% da cidade com alto risco de contágio de Covid-19, flagrantes de aglomeração são comuns.

A equipe da CNN flagrou grande movimentação na Praia do Flamengo, na Zona Sul do Rio, mesmo com a fiscalização da Guarda Municipal.

Pessoas aproveitaram a manhã para se exercitar, seja com caminhadas ou jogando futevôlei. Algumas, porém, não usavam máscara.

24.jan.2021 - Na Praia do Leme, banhistas estavam sem máscara e aglomerados na faixa de areia e no mar
Foto: Paula Gessica/CNN


 

Já na Praia do Leme, os banhistas estavam sem máscara e aglomerados na faixa de areia e no mar, cena que tem sido comum desde o ano passado.

 

Movimento de banhistas na manhã deste domingo (24) na Praia do Arpoador, na zona sul do Rio de Janeiro, em meio à pandemia de Covid-19 (24.jan.2021)
Foto: MÁRCIO ROCCHE/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO


No sábado (23), a sensação térmica chegou a 40 graus na capital Fluminense, e mais uma vez, as praias ficaram lotadas.

Além das praias, bares e casas noturnas têm sido os principais pontos com registro de desrespeito às principais normas de prevenção do coronavírus.

Equipes da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), do Instituto de Vigilância Sanitária, da Guarda Municipal e da Defesa Civil já realizaram 167 inspeções nestes estabelecimentos, que resultaram em nove interdições de eventos clandestinos e 58 infrações sanitárias. 

Na sexta-feira (22), após a constatação do risco nas 33 regiões administrativas do município, a prefeitura do Rio implementou novamente as medidas restritivas do plano de enfrentamento à pandemia, mas a permanência na praia segue liberada.

O prefeito Eduardo Paes falou em endurecer as medidas no verão. “Não é possível que as pessoas, vendo os outros morrerem, vendo situações que nós estamos observando por todo o Brasil, e numa tentativa que a prefeitura vem tendo de abrir os espaços públicos para que as pessoas não fiquem confinadas em suas casas [...] não é possível que as pessoas achem que vão poder curtir o verão à vontade. Não vão. Se a gente continuar no ritmo que está, nós vamos ter que radicalizar. Nós vamos ter que engrossar [as medidas restritivas]”.

Dados Covid-19

A cidade do Rio de Janeiro acumula 184.293 casos confirmados da Covid-19, com 16.685 mortes. Entre os casos confirmados, 165.362 pessoas se recuperaram da doença.