'Chegamos e a aeronave já estava em chamas', diz chefe de batalhão de Palmas

O local foi deixado pelo Corpo de Bombeiros após o fogo ser controlado e está passando por perícia para saber as causas do acidente com time de futebol

Da CNN, em São Paulo
24 de janeiro de 2021 às 12:58 | Atualizado 26 de janeiro de 2021 às 11:20


 

A queda de um avião na manhã deste domingo (24), provocou a morte de quatro jogadores do Palmas, do presidente do clube, Lucas Meira, além do piloto que conduzia a aeronave. Os atletas que morreram foram Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari. 

“Nós fomos acionados às 9h22, estivemos no local às 9h40, mas segundo informações do local o acidente aconteceu quase uma hora antes. Quando nós chegamos lá, a aeronave estava em chamas, chamas menores. Segundo eles, aconteceram explosões anteriores e os corpos, infelizmente, estavam carbonizados”, diz a tenente-coronel da capital do Tocantins, Andreya Bueno,  comandante do 1° Batalhão.

 

A atuação no local foi de controle do incêndio e isolamento da área. O local foi deixado pelo Corpo de Bombeiros após o fogo ser controlado e está passando pela perícia. 

“Como a gente está ainda em uma cena que teve muito calor, muita combustão, se necessário for eles nos acionam de volta na hora de remoção dos corpos. Mas agora realmente é um trabalho da perícia, tanto para a retirada e identificação dos corpos, quanto da aeronave, e se chegar a uma conclusão ou, pelo menos, próximo disso, sobre o motivo do acidente”, diz.

Corpo de Bombeiros do Tocantins trabalha no local do acidente de avião que matou o técnico e quatro jogadores do time do Palmas
Foto: CPMTO/Reprodução


 

A queda ocorreu a cerca de 18 a 20 quilômetros de Palmas, quando o time se dirigia ao município de Paraíso do Tocantins, onde fica o clube ATAS, Associação Tocantinense Aeronáutica. 

“O presidente do clube [Palmas] é uma pessoa muito conhecida na cidade. É o time da cidade. E apesar de não estarmos em série A, série B, entre os grandes clubes, mas são os nossos representantes no esporte. E a gente recebe com um impacto muito grande. Estamos muito consternados. São pessoas muito jovens que foram impactadas com esse acidente”.

Bueno destacou que não existe frequência de acidentes aéreos de pequeno porte na região. "É uma ocorrência atípica para nós". A tenente ressaltou que a pista está autorizada e é utilizada com a finalidade de dar aulas de instruções para pilotos.