Doria diz que pode vender doses da Coronavac a estados e municípios

A polêmica das doses extras do Butantan começou nesta semana, quando o Instituto aventou a possibilidade de exportar a vacina

Da CNN, em São Paulo
28 de janeiro de 2021 às 23:01


Diante do impasse do governo federal em fechar a compra de 54 milhões de doses da Coronavac com o Instituto Butantan, o governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), disse no Twitter nesta quinta-feira (28) que, caso o Ministério da Saúde não compre as vacinas, elas serão vendidas para os estados e municípios brasileiros que demonstrarem interesse.

“Caso o Ministério da Saúde não confirme a compra das 54 milhões de doses adicionais da vacina do Butantan, determinarei ao Instituto que forneça estas vacinas prioritariamente aos Estados e Municípios do Brasil. O país tem pressa em salvar vidas. E nós em vacinarmos os brasileiros,” disse o governador de São Paulo em sua conta pessoal.

A polêmica das doses extras do Butantan começou nesta semana, quando o instituto aventou a possibilidade de exportar a vacina para países que já demonstraram interesse. 

Já em entrevista à CNN nesta quarta-feira (27), João Gabbardo, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 de São Paulo, sugeriu que o medicamento pode ser vendido no Brasil, possibilidade confirmada pelo governador João Doria.

Frascos da vacina contra Covid-19 Coronavac em São Paulo
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo (17.jan.2021)

(Publicado por Daniel Fernandes)