Zona de falha geológica brasileira refletiu tremor da Guiana, diz professor

Professor do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília, George Sand explicou que a zona de falha de Rio Branco fez moradores do Norte sentirem abalo

Da CNN, em São Paulo
01 de fevereiro de 2021 às 08:39

 

Moradores de Roraima e Amazonas relataram que sentiram os reflexos do tremor que atingiu a Guiana na tarde de domingo (31). Segundo o professor do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília, George Sand, mesmo o epicentro do terremoto de magnitude 5,7 pontos ser a cerca de 40km da fronteira com o Brasil, uma zona de falha geológica na região explica os abalos sentidos no país.

"Esses tremores de terra que acontecem no Brasil em regiões estáveis são provocados por movimentações pequenas de alguma falha geológica. Ali existe a zona de falha de Rio Branco, já conhecida, e pode ser dessa relação que tem uma ocorrência de atividade [no país]", explicou Sand, em entrevista à CNN

O professor disse que o Norte do país tem registros de outros tremores, como o abalo de 4,2 de magnitude sentido em abril do ano passado, e um terremoto de 5 de magnitude relatado na década de 1960.

No entanto, Sand explica que os abalos no Brasil não costumam causar estragos, pois atingem regiões distantes de cidades.

"No Brasil, os terremotos de magnitude pequenas, principalmente se acontecer perto de regiões com casas ou cidades, tem impactos fortes. Isso faz com tremores dessas magnitudes tenham impacto maior do que se acontecesse no Japão ou no Chile", detalhou.

Terremoto na Guiana foi sentido em cidades do Norte brasileiro
Terremoto na Guiana foi sentido em cidades do Norte brasileiro
Foto: Reprodução/CNN Brasil

(Publicado por: André Rigue)