RJ: Doses da Coronavac que ficaram sem refrigeração poderão ser utilizadas

Análise do Instituto Nacional de Controle e Qualidade em Saúde da Fiocruz não encontrou sinais de comprometimento na vacina

Isabelle Lima e Stefano Sales, da CNN, no Rio de Janeiro
02 de fevereiro de 2021 às 13:57 | Atualizado 02 de fevereiro de 2021 às 14:04
Frascos com a vacina CoronaVac
Frascos com a vacina Coronavac
Foto: Amanda Perobelli/Reuters (22.jan.2021)

As 728 doses da vacina Coronavac que ficaram armazenadas fora da temperatura recomendada no Hospital Federal de Bonsucesso por falta energia elétrica estão em condições de uso e serão aplicadas em até duas semanas. Nesta segunda-feira, a Secretaria Municipal de Saúde explicou que consultou a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fez uma análise e concluiu que as doses não foram comprometidas.

Em nota enviada à CNN, o município informou: “O Instituto Nacional de Controle e Qualidade em Saúde da Fiocruz (INCQS/Fiocruz) analisou os relatórios do ocorrido e informações técnicas do fabricante da vacina e considerou que há segurança para o uso das doses em questão", afirmou o município.

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu na segunda-feira o documento do NCQS/Fiocruz com o resultado da análise e decidirá para onde as doses serão direcionadas. O uso em até 14 dias é uma orientação do instituto.

A bula da vacina orienta o armazenamento entre 2 graus e 8 graus, recomendação que pode ter sido desobedecida com a queda de energia que atingiu a unidade de saúde. O diretor do Hospital, Edson Joaquim Santana, foi exonerado do cargo na quarta-feira (27), após o problema. O Ministério da Saúde informa que mais de 7 milhões de doses de vacinas já foram enviadas aos estados desde o início da imunização contra a Covid-19 no país, que começou no dia 18 de janeiro. Ao todo, a lista de grupos prioritários soma uma população de 77,2 milhões de pessoas, pouco mais de um terço dos 210 milhões de habitantes do país.

Nota da Secretaria Municipal de Saúde

O Instituto Nacional de Controle e Qualidade em Saúde da Fiocruz (INCQS/Fiocruz) analisou os relatórios do ocorrido e informações técnicas do fabricante da vacina e considerou que há segurança para o uso das doses em questão. O órgão recomendou que a aplicação dessas doses seja feita no período de até 14 dias. A Secretaria Municipal de Saúde recebeu ontem o documento do INCQS/Fiocruz com o resultado da análise e decidirá para onde as doses serão direcionadas.

Nota do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde informa que as 728 doses da vacina Coronavac, que ficaram fora da refrigeração por conta da queda de energia no Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), no Rio de Janeiro, estão aptas para o uso em até 14 dias. A análise foi realizada pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS).