MPF investiga como traficante de armas deixou cadeia no Rio com alvará falso

João Felipe Barbieri é apontado como um dos maiores traficantes de armas do mundo

Beatriz Puente, da CNN, no Rio de Janeiro*  
10 de fevereiro de 2021 às 15:56 | Atualizado 11 de fevereiro de 2021 às 22:22

O Ministério Público Federal abriu investigação para apurar a participação de agentes de segurança na fuga de João Felipe Barbieri, suspeito de usar um alvará falso para deixar a  penitenciária de Bangu, no Rio de Janeiro.

Condenado a 27 anos de prisão por associação para o tráfico e tráfico internacional de armas, Barbieri é apontado como um dos maiores traficantes de armas do mundo e deixou a cadeia, pela porta da frente, no dia 18 de novembro do ano passado, ao lado de um outro traficante. 

Segundo o MPF, o documento foi falsificado e fazia parecer ser tratar de um alvará expedido pela 8ª Vara Federal Criminal. A investigação será conduzida pelo procurador Eduardo Benones, à frente do Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial do MPF. Em nota, a Justiça Federal afirmou que o alvará de soltura não foi expedido pela 8ª Vara Federal Criminal, o que confirma a fraude. 

Militares do Exército são presos por fraude com armas no DF
Militares do Exército são presos pela Polícia Civil do Distrito Federal por fraude com armas
Foto: Divulgação/Ascom/PCDF

João Filipe Barbieri é enteado de Frederick Barbieri, considerado o 'Senhor das Armas' e que está preso nos Estados Unidos. Com Barbieri, também fugiu o traficante João Victor Silva Roza. Os dois foram denunciados pelo MPF, em 2017, por integrar uma quadrilha de tráfico internacional de armas que teria trazido 60 fuzis pelo Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. 

O desembargador federal Marcello Granado, 8ª Vara Federal Criminal, ordenou o cumprimento imediato das prisões, a comunicação do fato às autoridades e uma cópia de partes do processo para ser encaminhada ao Ministério Público Federal. 

*sob supervisão de Maria Mazzei