Governo de SP concede Zoo e Jardim Botânico por R$ 111 milhões

Consórcio vai administrar espaços por 30 anos e deverá oferecer novos serviços, como novos habitats para os animais, espaços de lazer e acessibilidade

Anna Satie, da CNN em São Paulo
23 de fevereiro de 2021 às 19:27 | Atualizado 23 de fevereiro de 2021 às 20:31

 O governo de São Paulo concluiu nesta terça-feira (23) o leilão da concessão do Zoológico, do Zoo Safári e do Jardim Botânico da capital paulista à iniciativa privada. 

A melhor oferta foi do Consórcio Reserva Paulista, de R$ 111 milhões — 132% acima do valor mínimo esperado, de R$ 48 milhões. A segunda maior foi apresentada pela Cataratas do Iguaçu, por R$ 82 milhões.

Atualmente, os espaços são geridos pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) do estado.

O prazo do contrato é de 30 anos, durante os quais o estado espera receber R$ 4 bilhões em retorno, de acordo com o governador João Doria (PSDB). A empresa vencedora deverá modernizar os parques e oferecer novos serviços, como novos habitats para os animais, espaços de lazer e cultura e mais acessibilidade. 

"O atendimento aos visitantes ficará ainda melhor com os investimentos que serão feitos tanto no Zoológico quanto no Jardim Botânico e o governo, por sua vez, vai focar seus recursos e esforços nas pesquisas e proteção à biodiversidade, que continuarão com o estado”, disse o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido. 

Lago do Zoológico de São Paulo, na zona sul da capital paulista
Lago do Zoológico de São Paulo, na zona sul da capital paulista
Foto: Divulgação/Secretaria do Meio Ambiente

O governo informou que, depois da entrega dos envelopes e da fase de leilão, a SIMA irá analisar as documentações da melhor proponente e divulgar o resultado até este sábado (27). A publicação e agendamento da habilitação aconterão em 14 de março.