Julgamento sobre suspeição de Moro, mortes por Covid em SP e mais de 23 de março

5 Fatos Tarde, apresentado por Evandro Cini, repercute principais notícias do Brasil e do mundo

Da CNN, em São Paulo
23 de março de 2021 às 13:41

A retomada do julgamento sobre a suspeição de Sergio Moro em processos da Lava Jato, o recorde de mortes em 24 horas por Covid-19 em São Paulo e a previsão da Pfizer para a entrega de vacinas ao Brasil estão entre os destaques do 5 Fatos Tarde desta terça-feira, 23 de março de 2021.

Julgamento de Moro 

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) retoma o julgamento sobre a suspeição do ex-juiz Sergio Moro, ou seja, os ministros vão decidir se ele foi parcial em processos da Lava Jato envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP). Falta apenas o voto do ministro Nunes Marques, que havia pedido mais tempo para analisar o caso. O julgamento, que começou em 2018, está em 2 a 2. 

Recorde de mortes em SP

O estado de São Paulo bateu recorde de mortes provocadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas. Foram 1.021 confirmações. Isso significa que, em média, uma pessoa morreu a cada 85 segundos. Com isso, o estado soma 68.623 mortos desde o início da pandemia.

Casos e mortes na América do Sul

Uma pesquisa feita por uma plataforma ligada à Universidade de Oxford revela que o Brasil é o país com mais casos e mortes por Covid-19 na América do Sul. São mais de 56 mil casos por milhão de habitantes desde o início da pandemia. O país também é o segundo com mais mortes e mais casos no mundo.

'Força-tarefa' de vacinas

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), deve propor, na reunião dos chefes de poder marcada para quarta-feira (24), a criação de uma “força-tarefa” para tentar antecipar a chegada de vacinas contra a Covid-19 ao Brasil. A apuração é do analista de política da CNN, Igor Gadelha. Segundo interlocutores de Pacheco, a proposta é unir todos os poderes e entidades de classe para atuarem junto aos laboratórios Pfizer e Janssen para eles antecipem o envio das doses já contratadas.

Vacina da Pfizer

A farmacêutica Pfizer prevê que a entrega de vacinas contra a Covid-19 nos próximos três meses. A projeção é da diretora médica da empresa no país, Márjori Dulcine, que, em entrevista à CNN, disse que a Pfizer trabalha para enviar as doses o mais rápido possível. 

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br