'Não é momento de turismo; quarentena não é férias', apela secretário de SP

Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional do estado, afirmou também que o governo não descarta antecipar outros feriados ao longo do ano

Produzido por Elis Franco, da CNN, em São Paulo
29 de março de 2021 às 09:28

Secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi reforçou, em entrevista à CNN nesta segunda-feira (29), o apelo para a população respeitar as medidas de distanciamento social para conter o avanço da pandemia no estado. Na sexta-feira (25), começou um "mega feriado" prolongado na capital paulista para diminuir a circulação de pessoas nas ruas, mas registros de aglomerações, tanto na cidade quanto no litoral, marcaram o fim de semana.

Segundo Vinholi, todas as principais vias que levam às praias paulistas registraram queda de movimento, na comparação com a semana anterior: 55% na Anchieta-Imigrantes; 47% na Rodovia dos Tamoios, e 77% de queda do fluxo na Mogi-Bertioga.

"O que vimos foram barreiras sanitárias nos municípios que geraram trânsito nessas rodovias e, de forma correta, fazendo com que a população compreenda que não é o momento de turismo; quarentena não é férias", afirmou o secretário. "Evidentemente, buscamos com a população resultados de distanciamento social mais impactantes nesse período", completou.

"O estado tem hoje 92,2% de ocupação de leitos de UTI. A cada dia, colocamos mais leitos no sistema, mas a demanda é rápida e crescente, portanto, momento de muita cautela para a população do estado", afirmou Vinholi.

De acordo com ele, o governo de São Paulo não descarta antecipar outros feriados ao longo do ano, caso os números da pandemia continuem crescentes. "Vemos regiões como Araçatuba, Rio Preto e Sorocaba com mais de 600 casos por 100 mil habitantes; algumas, com 900 casos/100 mil habitantes, número nunca visto antes desde o início da pandemia. Portanto, o estado vai analisar a todo momento, com o Centro de Contingência, essa questão de feriados e toda a possibilidade que temos de aumentar o distanciamento social."

Interdição de praias no Guarujá, no litoral de São Paulo
Foto: Vincent Bosson/FotoArena/Estadão Conteúdo