PF cumpre mandados de busca para apurar vacinação ilícita contra Covid-19 em MG

Polícia Federal trabalha com a possibilidade de vacinas importadas ilegalmente, desviadas do Ministério da Saúde ou falsificadas

Da CNN, em São Paulo
30 de março de 2021 às 19:09 | Atualizado 30 de março de 2021 às 22:32

A Polícia Federal cumpriu, na tarde desta terça-feira (30), dois mandados de busca e apreensão na casa de uma enfermeira e seu filho, suspeitos de comercializar vacinas de origem ilícita contra a Covid-19. As buscas ocorreram em Belo Horizonte. 

A suspeita, segundo informações da PFMG, é de que vacinas de origem ainda desconhecida tenham sido aplicadas em uma garagem de ônibus, comandada por um grande conglomerado de transportes do estado de Minas Gerais.  

 

Em depoimentos, os empresários responsáveis pela empresa de transporte assumiram a aquisição ilegal dos imunizantes. A investigação apurou ainda que a enfermeira, que possui passagem por furto, chegou a comercializar as vacinas para outras pessoas. 

Profissional de saúde prepara seringa com vacina contra Covid-19 de Oxford
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

 

A mulher, seu filho e um outro homem foram conduzidos à sede da Superintendência da Polícia Federal de Minas Gerais e devem prestar depoimento sobre o caso. A ação faz parte da Operação "camarote", que investiga a suposta importação e administração irregular de vacinas contra a Covid-19.