MPF decide acusar ator argentino Juan Darthés por estupro, diz advogado

Ator é acusado de estuprar a também atriz argentina Thelma Fardín

José Brito, da CNN, em São Paulo
07 de abril de 2021 às 22:11 | Atualizado 08 de abril de 2021 às 11:13
O ator argentino Juan Darthés
O ator argentino Juan Darthés
Foto: Reprodução/Twitter

Em uma coletiva para a imprensa, no Centro Cultural Recoleta, em Buenos Aires, a atriz argentina Thelma Fardín, acompanhada de seu advogado, do grupo de Atrizes Argentinas e Anistia Internacional, anunciaram, na tarde desta quarta-feira (7), que a Procuradoria-Geral da República de São Paulo decidiu acusar o ator Juan Rafael Pacífico Dabur, conhecido como Juan Darthés, por estupro. Com uma ordem de prisão emitida pela Interpol, ele se mudou para o Brasil, em 2018, onde não pode ser extraditado por possuir dupla cidadania.

À CNN, o MPF disse que a denúncia foi apresentada na terça-feira (6) e que aguardam a Justiça aceitar. 

“Eu recebi a notificação formal do Ministério Público brasileiro dizendo que o caso é secreto no Brasil e precisamos confirmar a apresentação da denúncia feita pela Thelma na Nicarágua. Como é um caso público, eles decidiram entrar no caso. O próximo passo será a justiça brasileira julgar a acusação contra ele”, disse o advogado Martín Arias Duval, em entrevista à CNN

Em 2018, Thelma revelou ter sido abusada sexualmente por Darthés, durante uma turnê internacional da peça infantil "Patito feo", na Nicarágua, em 2009. Na época, eles tinham 16 anos e 45 anos, respectivamente. Pelo menos, outras quatro atrizes também relatam serem vítimas do ator e possuem processos contra ele. O caso de Fardín segue em segredo de justiça, no Brasil. 

“Uma noite começou a beijar o meu pescoço e eu disse não. Ele agarrou a minha mão, me forçou a tocá-lo e disse: ‘Olha como você me deixa’. Ele me jogou na cama, arrancou meu shorts e eu continuava dizendo que não. Mas não importou: ele subiu em cima de mim e me penetrou”, relatou Thelma, em um vídeo depoimento, no final de 2018.

Após analisar as provas reunidas e depoimentos, em novembro de 2019, a justiça da Nicarágua emitiu uma ordem de prisão e captura internacional contra Juan a pedido da Subprocuradoria da Unidade Especializada em Crimes contra a Violência de Gênero do Ministério Público por estupro qualificado. 

Juan Darthés não foi localizado pela reportagem e o seu advogado não quis comentar a acusação.