Combinar diferentes vacinas contra Covid-19 pode envolver vantagens e riscos

Da CNN, em São Paulo *
06 de julho de 2021 às 04:30

O esquema de combinação de diferentes vacinas contra Covid-19, que tem potencial de agilizar a imunização e até de aumentar a eficácia contra novas variantes, começa a ter base científica mais sólida conforme saem estudos atestando o sucesso do método. O mais robusto deles até o momento foi realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford e indicou que a combinação da Astrazeneca com a Pfizer teve resultados promissores em mais de 800 voluntários.

Essa mistura de diferentes vacinas, que também é chamada de "esquema misto de vacinação", já está sendo aplicada em alguns países do mundo como Chile e Canadá. No Brasil, a cidade do Rio de Janeiro autorizou que gestantes vacinadas com a primeira dose da AstraZeneca concluam o esquema vacinal com uma dose da Pfizer.

Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira fala sobre o que sabemos e o que ainda falta descobrir sobre a intercambialidade de vacinas contra a Covid-19. Ao lado do presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha, Carol lembra outras situações em que o Brasil apostou no esquema misto de vacinação.

O especialista avalia ainda as vantagens que a modalidade pode trazer ao país neste momento, diante da escassez de doses e da multiplicação de variantes. Na segunda parte do episódio, o microbiologista Flávio Guimarães, pesquisador do Centro de Tecnologia de Vacinas da UFMG, comenta a lógica por trás da combinação de vacinas e avalia os riscos que a prática pode causar.

Conheça os podcasts da CNN Brasil:

E Tem Mais

Abertura de Mercado

Horário de Brasília

CNN Mundo

Alma do Negócio

Entre Vozes

5 Fatos

Na Palma da Mari

Todo o conteúdo da grade digital da CNN Brasil é gratuito.

Podcast E Tem Mais é publicado de segunda a sexta, sempre no início da manhã
Foto: CNN Brasil

* Texto publicado por Diego Toledo