Ferroviários de São Paulo anunciam fim da greve da CPTM

Serviços voltarão a funcionar gradativamente

Anna Gabriela Costa, da CNN, em São Paulo
15 de julho de 2021 às 17:58 | Atualizado 15 de julho de 2021 às 18:51
MetroCPTM
Foto: Reprodução/ MetroCPTM

A assembleia dos Sindicatos dos Ferroviários anunciou o fim da greve da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em São Paulo, que teve início na manhã desta quinta-feira (15). O serviço volta a ser operado gradativamente. 

A decisão foi tomada em assembleia depois de a CPTM e o governo estadual aceitarem a proposta da categoria.

"Estávamos caminhando para a continuação da greve, mas no último momento o Secretário de Transportes, Alexandre Baldy, resolveu nos ouvir e chegamos a um acordo”, afirmou o presidente interino do Sindicato da Sorocabana, José Claudinei Messias.

A greve teve início por volta da meia-noite, e as linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda e 10-Turquesa foram paralisadas.

A proposta feita pelos ferroviários para o encerramento da greve foi de 50% do PPR 2020 pagamento dia 10 de agosto; 50% restante do PPR 2020, com acréscimo da multa contratual, a ser pago em 10 de janeiro de 2022; e a solicitação de não recorrer ao TST das decisões dos Dissídios Econômicos 2020 e 2021. 

"O governo do Estado de SP irá fazer o aporte necessário à CPTM para pagar a Participação nos Resultados (PPR) de 2020. No acordo, a primeira parcela do PPR será paga no mês de agosto e a segunda em janeiro. Em relação ao dissídio proposto pela categoria, o assunto será decidido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT).  Desta forma, todas as linhas da CPTM funcionarão normalmente nesta sexta-feira (16) a partir do início da operação comercial (4h)", esclareceu a Secretaria de Transportes, por meio de nota.