Rio tem terceiro caso confirmado de paciente com a variante Delta   

São seis em todo o estado: moradora da Zona Oeste, de 72 anos, é a nova diagnosticada  

Stéfano Salles, da CNN, no Rio de Janeiro 
16 de julho de 2021 às 13:59
Leitos de UTI no Hospital Ronaldo Gazzola, na zona norte do Rio de Janeiro
Leitos de UTI no Hospital Ronaldo Gazzola, na zona norte do Rio de Janeiro, durante pandemia da Covid-19
Foto: Wilton Júnior/Estadão Conteúdo (10.mar.2021)

A cidade do Rio de Janeiro chegou ao terceiro caso confirmado da variante Delta, do novo coronavírus. A nova portadora da linhagem originária da Índia é uma mulher de 72 anos, com comorbidades que não foram divulgadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Ela é moradora de Campo Grande, bairro da Zona Oeste da capital, apresentou quadro de síndrome gripal leve e, de acordo com o município, já está curada. 

Antes deste caso, os anteriores descobertos na capital envolviam dois homens: um de 27 anos, morador de Olaria, e outro de 30, residente em Paquetá, ilha de Baía de Guanabara.

Antes mesmo da confirmação do novo caso, autoridades sanitárias do estado e do município já admitiram a ocorrência de transmissão comunitária da variante, devido aos casos nos quais não houve identificação do transmissor, porque os contaminados não apresentaram histórico recente de viagem ao exterior e pela ausência de contato com viajantes. 

 O secretário municipal de Saúde Daniel Soranz defende o aprofundamento de discussões sobre o uso de vacinas heterólogas (combinação de fabricantes diferentes), para conter o avanço das novas variantes. “É isso que está sendo discutido na maioria dos países. É uma discussão que precisa acontecer. A gente tem um Plano Nacional de Imunização que sempre foi referência mundial, sempre saiu à frente”, afirmou. 

Se forem levados em conta os casos dos demais municípios, o estado do Rio soma seis pessoas contaminadas pela linhagem, uma das quatro consideradas de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e associada à maior transmissibilidade. 

Os outros casos da variante Delta no Rio de Janeiro são de um homem de 30 anos, de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, uma mulher de 22 anos, de Seropédica, na Região Metropolitana, e um homem de 32 anos, de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

De acordo com a SMS, há uma média de 20 pessoas monitoradas para cada caso confirmado de Covid-19 na capital. Até quinta-feira (16), quando não havia a descoberta do terceiro caso, o órgão afirmava acompanhar 40 pessoas. Segundo o órgão, a investigação epidemiológica dos três casos ocorridos na cidade está em andamento. 

De acordo com as secretarias de Campos dos Goytacazes, Seropédica e São João de Meriti, os pacientes diagnosticados nos municípios já estão curados.