Covaxin fora do PNI, Fundo Eleitoral, voto impresso e mais de 20 de julho

Confira o '5 Fatos Manhã', com as principais notícias do dia

Da CNN, em São Paulo
20 de julho de 2021 às 07:28

A não inclusão da Covaxin no Plano Nacional de Imunizações e a fala de Bolsonaro de que vai vetar o Fundo Eleitoral são os destaques do 5 Fatos Manhã desta terça-feira, 20 de julho de 2021.

Covaxin

O governo federal decidiu não incluir a Covaxin no Plano Nacional de Imunizações (PNI) ainda que as sindicâncias da Controladoria-Geral da União (CGU) apontem que não houve irregularidades no contrato do Ministério da Saúde com a Precisa Medicamentos, representante da empresa indiana Bharat Biotech, fabricante do imunizante. O contrato é um dos principais focos da CPI da Pandemia e há receio, principalmente do Ministério da Saúde, de que, mesmo se a CGU não identificar nenhum problema no contrato, possa aparecer alguma irregularidade mais à frente.

Mortes por Covid-19

Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), realizado entre os dias 12 e 17 de julho, revela que metade de 2.926 cidades brasileiras pesquisadas não contabilizou mortes por Covid-19 na semana passada. Ao todo, são 5.568 municípios, mas, nem todos responderam à pesquisa. Ainda assim, o número representa alta em relação aos sete dias anteriores. Entre os dias 5 e 8 de julho, 1.258 municípios não haviam registrado mortes por Covid-19. Os dados mais recentes, da semana encerrada em 15 de julho, mostram que agora são 1.426 cidades sem óbitos.

Fundo eleitoral

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou em entrevista à TV Brasil que vai vetar o Fundo Eleitoral. Segundo o presidente, o novo Fundo Eleitoral será vetado em respeito ao trabalhador brasileiro e porque é necessário "conviver em harmonia com o Legislativo". Bolsonaro avaliou ainda que o valor é "astronômico" para "fazer campanha eleitoral" e ressaltou que o dinheiro seria melhor aproveitado se fosse remanejado para o Ministério do Desenvolvimento Regional ou para o Ministério da Infraestrutura.

Voto impresso

O presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) disse a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada que não acredita mais na aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que torna o voto impresso obrigatório. A comissão criada pela Câmara dos Deputados adiou a decisão para o dia 5 de agosto.

Peru

O socialista Pedro Castillo foi oficialmente declarado presidente eleito do Peru, um mês e meio após as eleições ocorridas no dia 6 de junho. A decisão foi confirmada pelo Júri Nacional de Eleições (JNE), principal corte eleitoral do país sul-americano. A cerimônia de posse de Castillo está marcada para ocorrer no dia 28 de julho.

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br