Prefeito do Rio de Janeiro apresenta plano de legado do Parque Olímpico

Em coletiva, Eduardo Paes afirmou que as escolas que serão feitas com o material da Arena do Futuro devem ficar prontas em 18 meses

Bruna Carvalho, da CNN, no Rio de Janeiro
22 de julho de 2021 às 14:31 | Atualizado 22 de julho de 2021 às 19:20

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciou nesta quinta-feira (22) o novo plano legado do Parque Olímpico da Barra da Tijuca. O legado olímpico do local envolverá esporte, educação e utilização de espaços pela iniciativa privada.

Durante a coletiva, o prefeito anunciou que a Arena 3 -- usada nos Jogos Olímpicos 2016 para disputas do judô, taekwondo e esgrima -- deve virar uma escola no prazo de 1 ano. As atividades esportivas oferecidas desde janeiro pela prefeitura na Arena serão transferidas para o Velódromo.  

“Essa Arena aqui vira uma escola, 2 são concedidas ao setor privado que vai pagar a obra aqui, o velódromo fica com a Prefeitura e o tênis também é concedido ao setor privado para eventos”, disse Paes.

O setor privado também será responsável pela manutenção das arenas e do espaço em comum. 

Paes também disse que as 4 escolas que serão construídas com a estrutura da Arena do Futuro já têm data para sair do papel. A expectativa é que elas fiquem prontas em 18 meses. 

“São todos recursos da prefeitura do Rio. Eu imagino que a gente esteja assinando esse contrato no mês de agosto e iniciando as obras em setembro”, disse Paes.

As escolas serão construídas em Bangu, Campo Grande, Santa Cruz e Rio das Pedras.

Outra mudança que deve acontecer em breve é no Centro Aquático. A piscina será instalada próxima à pista de atletismo e poderá ser usada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB). 

Para os moradores da região, o que aconteceu com o Parque foi um desperdício

Parte do complexo olímpico está sem atividades desde o fim dos jogos. Para esse morador que sempre anda de bicicleta no entorno do espaço a situação é de abandono.

“Aqui tá um total abandono. Em relação a tudo. O legado que era para ter ficado, para escola, formação de atletas. Não aconteceu nada disso” disse André Batista. 

Para a moradora Solange Ferreira, a pior parte é ver os projetos que beneficiariam a educação parados. 

“Iam ter escolas e não tem nada disso. A parte toda do parque olímpico ia virar área de lazer. É triste, né?”

Estação da Gávea inacabada

Cinco anos após os jogos, a obra do metrô permanece inacabada. A conclusão da estação Gávea também era uma das promessas para os jogos. A obra hoje está parada.

Em nota o Governo do Estado informou que realizará a licitação para elaboração de estudos e projeto da consolidação estrutural da estação Gávea do metrô. O prazo previsto para a entrega da documentação exigida no edital é o dia 23 de agosto.

Com a conclusão do projeto básico, o estado vai realizar a licitação para a contratação do plano executivo e das obras.

Prefeito do RJ, Eduardo Paes, apresenta plano de legado do Parque Olímpico
Foto: Bruna Carvalho/CNN