Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Roubo de celular: 1 em cada 3 paulistanos já teve aparelho levado por criminosos, diz Datafolha

    Cerca de 16% dos entrevistados disseram que já foram vítimas desse crime mais de uma vez

    Ana Coelhoda CNN* Em São Paulo

    Um em cada três moradores da cidade de São Paulo (cerca de 35%) já teve o celular roubado, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha. Dessas, 16% foram vítimas mais de uma vez. O levantamento foi realizado no início de março e ouviu 1.090 pessoas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

    A pesquisa indica que os principais alvos são pessoas entre 25 e 34 anos, que representam 51% das vítimas. Além disso, 40% das vítimas possuem renda entre R$ 7 mil e R$ 14,1 mil, equivalente à faixa entre cinco e dez salários mínimos.

    O centro da cidade é o local com maior índice de roubos de celular, com 45% dos moradores já tendo sido vítimas.

    Já nas zonas oeste e leste o percentual cai para 38%. Na zona sul, fica em 35%. A região norte da capital é a menos afetada e registrou 27% entre todas as ocorrências.

    Gangue da bike

    A chamada gangue da bike atua principalmente no centro da cidade, roubando pedestres e motoristas distraídos, especialmente aqueles com os vidros do carro abertos.

    No centro, 26% dos entrevistados relataram ter tido o celular roubado por um ciclista. Na zona sul, esse número cai para 14%.

    O principal alvo dos criminosos são as mulheres, com 22% das entrevistadas relatando terem seus celulares roubados, enquanto 14% dos homens foram vítimas do crime.

    O que diz o governo

    Procurada pela CNN, a Secretaria da Segurança Pública diz que “está empenhada no combate a roubos e furtos de celulares, com foco nos receptadores, e o policiamento ostensivo realizado pela Polícia Militar é constantemente reorientado com base nos índices de reincidência criminal para combater essas e outras modalidades criminosas”.

    A pasta diz que, “como resultado da atuação das polícias, os roubos e furtos de celulares caíram 11,9% em 2023, em comparação com 2022”. “Além disso, no âmbito da Operação Mobile, realizada na Capital pela Polícia Civil, no primeiro bimestre deste ano, 1.052 celulares foram recuperados, sendo que 230 aparelhos foram devolvidos às vítimas, e 112 infratores foram presos.”

    “Todos esses esforços também permitiram a prisão de dois estrangeiros, considerados os maiores exportadores de aparelhos celulares. A dupla foi presa em flagrante no último dia 6, no centro de São Paulo, com cem celulares sem procedência, com suspeita de serem produtos de roubos e/ou furtos”, finaliza a secretaria.

    * Sob supervisão