Análise: Sergio Moro sai com imagem fustigada em motim no Ceará


Iuri Pitta
Por Iuri Pitta, CNN  
02 de Março de 2020 às 11:34 | Atualizado 02 de Março de 2020 às 18:33

Comentarista de política da CNN Brasil, Iuri Pitta avaliou, nesta segunda-feira (2), que o motim de policiais militares no Ceará desgastou a imagem do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que, para ele, foi "pouco incisivo" em relação à paralisação dos PMs.

"Do ponto de vista do governo federal, me parece que o ministro Moro acabou saindo, de certa forma, fustigado na sua imagem, porque ele foi pouco incisivo na condenação [da greve dos PMs]", analisou Pitta. "Só no fim de semana, que ele afirmou que a greve era ilegal, mas mesmo assim deu uma contemporizada e disse que os policiais deveriam ser valorizados".

Por outro lado, Pitta elogiou a decisão do governo estadual de não dar anistia aos militares que participaram da paralisação, o que era uma das principais reivindicações dos policiais.

"O governo do Ceará conseguiu o que era um ponto crucial: não anistiar os militares que se envolveram na paralisação, principalmente aqueles que chegaram a usar máscara e equipamentos da polícia para criar um ambiente de instabilidade e caos"

Fim da paralisação

Sergio Moro na CCJ da Câmara

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, durante audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados (03.jul.2019)

Crédito: Fábio Rodrigues/ Agência Brasil

Após 13 dias de paralisação, chegou ao fim o motim de policiais militares no Ceará. Na noite deste domingo (1) a categoria aceitou a proposta oferecida pelo governo do estado e retornará ao trabalho nesta segunda-feira.

A decisão foi tomada após um dia inteiro de reuniões entre a comissão formada pelos representantes dos três poderes e representantes da PM. Os agentes de segurança só suspenderam a paralisação depois que o governo ofereceu uma série garantias - entre elas, o compromisso de que os processos que vão apurar as infrações cometidas pelos envolvidos no motim vão ser conduzidos "de forma parcial, isenta e transparente".

Também houve a garantia de que haverá reajuste salarial. Sobre esse ponto, cada detalhe será decidido entre as duas partes.

Os deputados do Ceará passaram todo o domingo em sessão extraordinária para votar na proposta do Projeto de Emenda à Constituição (PEC) que proíbe que policiais façam greve. A Constituição Federal já proíbe a paralisação de agentes da segurança pública.