Regina Duarte assume Secretaria 1 dia após exoneração de comissionados


Da CNN Brasil, em São Paulo
04 de março de 2020 às 08:26 | Atualizado 04 de março de 2020 às 15:12
Regina Duarte e Jair Bolsonaro

Regina Duarte e Jair Bolsonaro se reúnem em Brasília (22.jan.2020)

Crédito: Carolina Antunes/Secom PR

Quase dois meses depois do convite do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Regina Duarte toma posse do comando da Secretaria de Cultura nesta quarta-feira (4). A nomeação da atriz foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União e ocorre um dia após a demissão de seis funcionários comissionados.

Regina assume teve total autonomia para montar a equipe e assume com a missão de ter papel conciliador com a classe artística.

A solenidade se dá após um período de reuniões, que Bolsonaro classificou como "namoro "e "noivado" até o "casamento" entre os dois, que seria o momento da posse. Em meio às negociações, ela viajou a Brasília e conheceu a estrutura da secretaria, que é vinculada ao Ministério do Turismo.

Regina chegou a ter uma reunião com a então secretária interina, Jane Silva - que acabou exonerada semanas depois. Às vésperas da posse, a nova leva de demissão de funcionários chamou a atenção. A atriz não comentou nenhuma das baixas e não foi relacionada diretamente às demissões.

Na terça-feira (3), foram exonerados Camilo Calandreli (secretário de Fomento e Incentivo à Cultura), Reynaldo Campanatti (secretário da Economia Criativa), Gislaine Targa (chefe de gabinete da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura), Raquel Brugnera (chefe de Gabinete da Secretaria da Economia Criativa), Ednagela Santos (diretora do Departamento de Promoção da Diversidade Cultural) e Ricardo Freire Vasconcellos (diretor do Sistema Nacional de Cultura). 

Ao longo dessas semanas de "noivado", Regina Duarte fechou acordo de rescisão com a TV Globo e encerrou o contrato de mais de 50 anos. Ela recebeu o convite para integrar o governo em 17 de janeiro, após a exoneração de Roberto Alvim, que fez referências nazistas em um vídeo oficial.

Já no início da manhã desta quarta-feira, a nomeação da atriz era um dos assuntos mais comentados do Twitter.

Olavo de Carvalho pede desistência

Na segunda-feira (2), o escritor vinculado ao bolsonarismo Olavo de Carvalho usou as redes sociais para criticar a posse da atriz e sugeriu que ela deveria desistir da nomeação.

"Se a Regina Duarte quer mesmo se livrar de indicados do Olavo de Carvalho, a pessoa principal que ela teria de botar para fora do ministério seria ela mesma", escreveu ele. 

A publicação foi feita após rumores divulgados pela revista Veja e pelo Antagonista, que adiantaram a exoneração do núcleo bolsonarista da pasta.