1ª Turma do STF tira processo de Kassab do calendário de julgamento


Da CNN Brasil, em São Paulo
03 de março de 2020 às 22:17 | Atualizado 03 de março de 2020 às 22:19
O ex-ministro de Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab

O ex-ministro de Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (19.dez.2018)

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Previstas para votação nesta terça (3), ações protocoladas em 2017 contra o ex-ministro Gilberto Kassab (PSD) foram excluídas do calendário de votação da 1ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal).

Kassab é acusado por ex-funcionários da empreiteira de ter recebido R$ 20 milhões da empresa entre 2008 e 2014 — parte do dinheiro teria sido destinada à criação do PSD (Partido Social Democrático). Uma fatia também teria custeado à campanha do político à Prefeitura de São Paulo, em 2008. 

O julgamento também analisaria um pedido da defesa do ex-ministro para que o caso fosse arquivado ou enviado à Justiça Eleitoral. 

O ministro do STF Luiz Fux havia decidido, em agosto de 2018, que o caso fosse remetido à Justiça Federal de São Paulo. À época, o ministro entendeu que Kassab não tinha mais foro privilegiado. 

No entanto, depois que a Polícia Federal em São Paulo afirmou não ter sequer uma cópia do inquérito, a defesa de Kassab entrou com recurso pedindo a suspensão do envio de documentos até o julgamento de um recurso contra a decisão que tirou o foro do político.

Em janeiro de 2019, o ex-ministro chegou a ser nomeado para o cargo de secretário da Casa Civil do governo de João Doria (PSDB) em São Paulo. No entanto, Três dias após sua nomeação, pediu afastamento por tempo indeterminado para "tratar de assuntos particulares". 

(Com Estadão Conteúdo)