Após chamar para atos pró-governo, Bolsonaro diz que não convocou 'ninguém'


Estadão Conteúdo
11 de março de 2020 às 21:13
 O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta simpatizantes na porta do Alvorada

O presidente da República, Jair Bolsonaro

Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (11) que não convocou "ninguém" para os atos pró-governo marcados para domingo (15). "Eu não convoquei ninguém, pergunta para quem convocou", disse, ao ser questionado se a disseminação do coronavírus poderia atrapalhar a convocação para as manifestações. Também estão na pauta das manifestações críticas ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal.

No sábado (7), no entanto, o próprio presidente havia convocado a população para participar dos atos. Em vídeo publicado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no Twitter, o presidente afirmou que a manifestação é "espontânea" e "pró-Brasil", e não contra o Congresso ou o Judiciário. "Participem e cobrem de todos nós o melhor para todo o Brasil", declarou em evento em Boa Vista antes de viajar para Miami, nos Estados Unidos.

O presidente já havia chamado, por WhatsApp, aliados para participarem do ato, conforme revelado pela colunista do jornal O Estado de S.Paulo e editora do BR Político, Vera Magalhães, o que resultou em uma semana de crise entre Legislativo e Executivo.

Nesta quarta-feira (11), o perfil oficial da Secretaria de Comunicação do governo destacou a fala do presidente sobre os atos previstos para o próximo domingo.

"A visita do presidente Jair Bolsonaro aos EUA incluiu um encontro com a comunidade brasileira que vive na Flórida. Em seu discurso, ele destacou a legitimidade das manifestações populares previstas para o dia 15 de março em todo o Brasil", diz a postagem da Secom, fixada no topo da página e acompanhada de uma imagem com a transcrição do discurso do presidente.