Bolsonaro é monitorado após Wajngarten testar positivo para coronavírus


Rudá Moreira Da CNN Brasil, em Brasília
12 de março de 2020 às 15:35 | Atualizado 12 de março de 2020 às 16:11
Presidente Jair Bolsonaro discursa a empresários em Miami

Presidente Jair Bolsonaro discursa a empresários em Miami

Foto: Marco Bello - 9.mar.2020/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está sendo monitorado no Palácio do Alvorada, nesta quinta-feira (12), após o secretário de Comunicação da Presidência da República (Secom), Fabio Wajngarten, ter resultado positivo para o novo coronavírus. 

Segundo a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência, Bolsonaro está sob o monitoramento do Serviço Médico da Presidência da República. Na tarde desta quinta, ele recebeu em casa a visita de agentes de saúde carregados com aparatos hospitalares, conforme apurou a CNN Brasil.

Às 15h43 (horário de Brasília), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, disse pelo Twitter que o pai fez teste para coronavírus e aguarda o resultado, mas "não tem sintomas da doença".

Em nota, a secretaria informou que estão sendo adotadas "todas as medidas preventivas necessárias" para preservar a saúde do presidente, dos integrantes da comitiva e dos servidores do Palácio do Planalto.

Nesta quinta, foi confirmado o resultado positivo para a contraprova do exame feito por Wajngarten. De acordo com a pasta, ele está em quarentena domiciliar por recomendação médica e só retornará às atividades quando não houver mais risco de transmissão do COVID-19.

O chefe da Secom estava na recente viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, onde se reuniram com o presidente norte-americano, Donald Trump. Eduardo Bolsonaro também estava na comitida e está sendo monitorado. Autoridades do governo norte-americano já foram informadas do caso para que tomem as "medidas cautelares necessárias", segundo a secretaria.

Perguntado por repórteres em uma entrevista coletiva, Trump afirmou que "não está preocupado" com a informação. 

Diplomata entra em quarentena

O embaixador Nestor Forster Jr., encarregado de negócios da embaixada do Brasil em Washington, decidiu entrar em quarentena preventiva por duas semanas após ter tido contato com o secretário de Comunicação do governo federal, Fábio Wajngarten, diagnosticado com o novo coronavírus.

O embaixador não tem nenhum sintoma, mas está tomando as medidas de precaução enquanto aguarda a realização de exames. A decisão pela quarentena veio depois de uma consulta do embaixador com seu médico. 

No mês passado, a Comissão de Relações Exteriores do Senado aprovou a indicação de Nestor Forster para assumir a titularidade do cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. A indicação aguarda votação no Plenário do Senado. Enquanto isso, ele permanece como “encarregado de negócios”.

Colaborou André Spigariol, da CNN Brasil em Brasília