Coronavírus: Bolsonaro fará novo exame e ficará em isolamento


Do Estadão Conteúdo
13 de março de 2020 às 22:35 | Atualizado 13 de março de 2020 às 23:10
Jair Bolsonaro fará novo teste para coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada, em Brasília

Foto: Adriano Machado-13.03.2020/Reuters

Mesmo com o primeiro resultado do exame de coronavírus tendo dado negativo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai repetir o teste no início da semana que vem. Ele também deverá ficar mais alguns dias em isolamento no Palácio da Alvorada.

A medida será necessária pelo tempo que o presidente passou no avião ao lado do secretário da Comunicação, Fabio Wanjgarten, diagnosticado com a doença na quinta-feira (12), como antecipou o Estado.

Um dos médicos da equipe que acompanha Bolsonaro afirmou à reportagem que o presidente deverá ficar mais um tempo em isolamento. "Ele segue de quarentena até o começo da próxima semana no Palácio do Alvorada. Precisa ficar isolado pelo menos sete dias depois do contato", disse em caráter reservado.

A medida é justificada por auxiliares próximos ao presidente para que seja descartada qualquer possibilidade de algum deles ter contraído o vírus. A maioria voltou de viagem no mesmo avião de Wajngarten. O voo entre Miami e Brasília durou cerca de nove horas. O presidente, porém, estava em uma ala separada da aeronave, sem contato direto com o secretário.

"Vida segue normal"

Após ter testado negativo para coronavírus nesse primeiro teste, o presidente Bolsonaro afirmou que a vida segue "normal", com problemas para serem resolvidos. "Vida segue normal, um grande desafio pela frente e muitos problemas para serem resolvidos", disse para apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada. Ele seguiu para o Palácio do Planalto, seu local de trabalho. Não constam compromissos na agenda dele.

Na saída da residência oficial, o presidente conversou com apoiadores, mas não os cumprimentou e permaneceu a alguns passos da grade onde as pessoas estavam. "Apesar do meu teste ter dado negativo, eu não vou apertar a mão de vocês", declarou.

Casos no Brasil

Em atualização divulgada nesta sexta, o Ministério da Saúde afirmou que o número de casos registrados no Brasil subiu para 98. Na quinta-feira, o registro oficial era de 77 casos.

O estado com o maior número de registros é São Paulo, onde 56 pessoas foram infectadas, seguido pelo Rio de Janeiro, com 16. Segundo o Ministério, ainda há 1.485 casos sob investigação no país.