Bolsonaro critica Witzel: ”Parece que o Rio de Janeiro é outro país”

Rudá Moreira e Mathias Brotero Da CNN Brasil, em Brasília
20 de março de 2020 às 11:36
O governador do Rio, Wilson Witzel, em evento
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou duramente as ações decretadas pelo governador Wilson Witzel (PSC) no Rio de Janeiro - como o fechamento de fronteiras estaduais -, ao sair do Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira (20).

“Tem certos governadores que estão tomando medidas extremas que não compete a eles. Fechar aeroporto, fechar rodovias, não compete a eles, fechar shoppings, fechar feiras, querem fechar a feira dos nordestinos no Rio de Janeiro, porque o comércio para e muita gente não tem o que comer.”

Bolsonaro disse ainda, sem citar nomes, que os “governadores” estão exagerando nas medidas adotadas. “A economia tá parando. Estão tomando medidas, no meu entender, exageradas. Fechar aeroporto no Rio de Janeiro, não compete a ele.”

Jair Bolsonaro disse ainda ter ficado preocupado com a situação vivida pela polulação carioca com o último decreto de Wilson Witzel que restringia a entrada e saída de pessoas do estado. “Eu vi ontem um decreto do Rio, que confesso que fiquei preocupado. Parece que o Rio de Janeiro é outro país. E não é outro país. Aqui é uma federação. Temos que tomar medidas equilibradas.”

O presidente disse estar fazendo o possível e que o pânico coletivo só fará a situação piorar. “Nós estamos fazendo o possível pra vencer esse problema, agora, eu não posso - como chefe de Estado - sair gritando por aí: ‘vai morrer todo mundo, não tem jeito...’ Não podemos entrar nessa situação, no pânico, piora a situação no Brasil.”