Justiça manda hospital que examinou Bolsonaro divulgar pacientes com coronavírus


Larissa Rodrigues, Matheus Teixeira e Tainá Farfan Da CNN Brasil, em Brasília
20 de março de 2020 às 21:00
Bolsonaro usa máscara durante coletiva em Brasília

Bolsonaro usa máscara durante entrevista coletiva em Brasília

Foto: Adriano Machado - 18.mar.2020/ Reuters

A Justiça Federal da 1ª Região determinou, na noite desta sexta-feira (20), que o Hospital das Forças Armadas (HFA) informe à Secretaria de Saúde do Distrito Federal a o nome de todos os pacientes que fizeram exames no local e testaram positivo para o novo coronavírus. 

Foi nesse hospital que a comitiva do presidente da República, Jair Bolsonaro, realizou exames para verificar a presença da doença. Pelas redes sociais, o presidente afirmou que o resultado de seu teste foi negativo para COVID-19.

Assim, todos os 22 membros da comitiva que até agora testaram positivo estarão na lista de pacientes a ser entregue ao governo do Distrito Federal.

Segundo a decisão, se o HFA se negar a cumprir a determinação, terá de pagar uma multa de R$ 50 mil por paciente cuja informação for omitida. Até agora, o Distrito Federal já confirmou 87 pessoas com coronavírus.

Saúde do presidente

Durante entrevista coletiva nesta sexta, Bolsonaro foi perguntado se apresentaria os resultados. O presidente respondeu que "é uma pessoa especial pela posição que ocupa".

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), corroborou a avaliação e defendeu que o presidente tem direito à privacidade do seu resultado.

Nos Estados Unidos, ao informar o resultado negativo para o novo coronavírus, o presidente Donald Trump apresentou à imprensa o exame ao qual se submeteu.