Após liberar comércio, governador de SC quer 'convívio seguro' com coronavírus


Da CNN, em São Paulo
27 de março de 2020 às 20:15 | Atualizado 27 de março de 2020 às 20:26

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), afirmou nesta sexta-feira (27) em entrevista exclusiva à CNN que a sua posição de promover a reabertura de parte do comércio a partir da próxima semana trata-se de um "plano de convívio seguro" com o novo coronavírus.

"A nossa decisão em Santa Catarina não é pela retirada da quarentena", afirmou, apesar da permissão para que shopping centers, academias, construção civil, bares e restaurantes abram. Carlos Moisés argumenta que continuarão impedidas todas as atividades que envolvam aglomerações, como cinemas e a realização de cultos, e disse defender que o isolamento seja adotado ao máximo possível.

"Nosso chamamento é fique em casa, continue mantendo o isolamento. Mas, se você não puder ficar em casa efetivamente, que mantenha as regras sanitárias. É a corresponsabilidade entre o Estado e o cidadão. Nós reunimos o setor produtivo e eles se comprometeram, sob pena de perder a autorização de funcionamento, a organizar o público que fica dentro e também o público que fica do lado de fora".  

O governador afirmou também que segue valendo a medida mais restritiva que adotou no estado, da proibição do funcionamento do transporte público, bem como a suspensão das aulas na rede pública. Ele também disse que será disponibilizado um aplicativo de celular, a partir de segunda-feira (30), com as regras de restrição para o funcionamento de cada atividade liberada.

"Se isso não acontecer [respeito às medidas], nós estamos conseguindo estar presentes em todos os municípios com a Polícia Militar e a Defesa Civil, as medidas de liberação serão imediatamente retiradas para aqueles que descumprirem", disse o governador. Sobre a permissão para autônomos funcionarem, incluindo os trabalhadores domésticos, ele argumentou que essa permissão foi feita para contemplar o atendimento a idosos, como cuidadores. 

Leitos

Segundo o Ministério da Saúde, há 149 casos confirmados e uma morte relacionada à COVID-19 em Santa Catarina. O governador Carlos Moisés diz ter 801 leitos disponíveis para o atendimento ao novo coronavírus, com outros 713 em prazo de implementação.

Questionado se julga que esse número será suficiente, Carlos Moisés disse ser necessário discutir de forma pública que "nenhum estado brasileiro terá respostas à altura diante da demanda que surgirá" em razão da atual pandemia, e que as medidas que estão sendo adotadas visam mitigar os danos decorrentes do novo coronavírus.