Câmara adia novamente votação de projeto que garante ajuda aos estados

Proposta seria votada nesta quinta, mas deve entrar somente na pauta de segunda-feira

Da CNN, em São Paulo
09 de abril de 2020 às 12:35
Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados
Foto: Adriano Machado - 11.mar.2020/ Reuters

A Câmara dos Deputados adiou a votação do projeto de socorro aos estados durante a pandemia do novo coronavírus, uma adaptação do Plano Mansueto. Sem consenso, a discussão foi prorrogada mais uma vez. 

A proposta estava na pauta de votação da casa desta quinta-feira (9), mas agora deverá entrar somente na de segunda (13).

"Nós vamos tratar de projetos mais simples para que, com calma, a gente trate os projetos complexos", anunciou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao abrir a sessão desta quinta.

Leia também: 

Análise: Versão reajustada do Plano Mansueto atenua polêmicas no Congresso

Maia pede maior harmonia com equipe econômica e cobra mudanças no Plano Mansueto

Além de suspender o pagamento de parcelas de dívidas com a União e bancos, o projeto permite aos governadores tomar crédito novo no limite de até 8% de suas receitas. Esse é um dos pontos mais polêmicos entre deputados e a equipe econômica por causa do impacto fiscal na economia brasileira.

Nesta quinta, a Câmara vai focar em três propostas: auxílio para Santas Casas e hospitais filantrópicos, ampliação do auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais, e crédito para micro e pequenas empresas durante a pandemia de COVID-19.

Os deputados tentaram, na véspera, votar o plano emergencial de ajuda aos estados no curto prazo, mas por falta de acordo, a sessão foi adiada e Maia deixou o Congresso Nacional irritado

A expectativa inicial de ajuda aos estados com a proposta era de cerca de R$ 85 bilhões - valor que o governo tenta diminuir. Com Estadão Conteúdo