Dono de padaria onde Bolsonaro esteve pode sofrer sanções

Presidente comeu sonho e tomou refrigerante dentro de estabelecimento, infringindo decreto que proíbe consumo dentro de lojas

Da CNN, em São Paulo
11 de abril de 2020 às 11:40 | Atualizado 11 de abril de 2020 às 13:40

O dono da padaria em que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) parou para tomar refrigerante e comer um sonho nesta semana, em Brasília, poderá ser intimado a prestar esclarecimentos sobre a permissão de deixar pessoas se alimentarem dentro do estabelecimento.

Um decretado anunciado no início do mês pelo governo do Distrito Federal proíbe o consumo dentro das lojas. Padarias podem funcionar apenas com entregas ou retiradas de alimentos pelos consumidores. Em caso de descumprimento da norma, auditores podem fiscalizar o local e orientar o proprietário sobre os procedimentos adequados para a prevenção do novo coronavírus. Em caso de reincidência, é prevista uma multa de até R$ 3.600.

Bolsonaro foi à padaria na Asa Norte, bairro de Brasília, na última quinta-feira (9) acompanhado de alguns assessores. Imagens compartilhadas pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) mostram o presidente comendo e conversando com apoiadores no local.

De acordo com a colunista da CNN Basília Rodrigues, os fiscais irão à padaria, mas apenas com o objetivo de orientar o dono do estabelecimento para não atender em balcão.