Mesmo se Mandetta sair, Brasil participa de reunião de ministros de saúde do G20

Na pauta, está a prestação de serviços de saúde “resilientes” durante a pandemia e o incentivo a soluções digitais para a coordenação global nesta área

André Spigariol, da CNN, em Brasília
15 de abril de 2020 às 23:56
O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o secretário-executivo João Gabbardo
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Apesar da crise envolvendo o comando do Ministério da Saúde, atualmente sob a batuta de Luiz Henrique Mandetta (DEM), o Brasil deve marcar presença em reunião dos ministros de saúde do G20, marcada para este domingo (19), por videoconferência. Uma fonte diplomática com conhecimento direto do assunto informou à CNN que a participação do Brasil no encontro está mantida e que os detalhes estão sendo ajustados pelo MS, independentemente de quem estiver no comando da pasta até o fim da semana.

A reunião é mais um desdobramento da Cúpula do G20 realizada no mês passado, da qual participou o presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, os líderes do G20 determinaram aos ministros da Saúde que compartilhassem “as melhores práticas nacionais” e desenvolvessem “um conjunto de ações urgentes para o G20 combater conjuntamente a pandemia”, de acordo com a diplomacia da Arábia Saudita, país que preside o bloco em 2020.

O Ministro da Saúde da Arábia Saudita, Dr. Tawfiq Al-Rabiah, presidirá a reunião ministerial deste domingo. Na pauta, está a prestação de serviços de saúde “resilientes” durante a pandemia e o incentivo a soluções digitais para a coordenação global nesta área. Também devem ser abordados outros assuntos, como a segurança dos pacientes e a garantia da inclusão de todos os países nos esforços globais de respostas à Covid-19. 

Além das 19 maiores economias do mundo e da União Europeia, participam da reunião também organismos internacionais, como a OMS, o Banco Mundial, a OCDE, o UNICEF, entre outros. 

A CNN procurou a assessoria de comunicação do Ministério da Saúde para obter mais detalhes sobre a participação brasileira na reunião de ministros do G20, mas ainda não obteve retorno da pasta.