Secretários de saúde são barrados em posse de Teich

Leonardo Villela, ex-presidente do Conass, e Mauro Junqueira, secretário-executivo do Conasems, foram impedidos de entrar

Daniel Adjuto
Por Daniel Adjuto, CNN  
17 de abril de 2020 às 12:10 | Atualizado 17 de abril de 2020 às 12:12
Presidente Jair Bolsonaro e novo ministro da Saúde, Nelson Teich: em posse nesta sexta (17), secretários foram barrados na cerimônia
Foto: Adriano Machado/Reuters

Representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) foram barrados na porta do Palácio do Planalto nesta manhã. Embora convidados para a posse de Nelson Teich no Ministério da Saúde, representantes dos Conselhos não puderam participar do ato.

Leonardo Villela, ex-presidente do Conass, e Mauro Junqueira, secretário-executivo do Conasems, foram impedidos de entrar. Segundo o presidente do Conass, “sem justificativa”. 

Na gestão de Luiz Henrique Mandetta, Conass e Conasems foram parceiros na adoção de medidas de enfrentamento à COVID-19 e deram suporte à manutenção do agora ex-ministro no cargo.

Leia também:
Quem é Nelson Teich, substituto de Mandetta no Ministério da Saúde

“Conass e Conasems jamais imaginaram o dia em que seriam barrados na posse de um Ministro da Saúde, fato inédito em toda a história do SUS. A colegialidade da gestão e o respeito a estados e municípios é o mínimo que se espera do Ministério da Saúde neste grave momento de crise de saúde pública que vivemos”, desabafa Alberto Beltrame, secretário de saúde do Pará e presidente do Conass. 

A coluna entrou em contato com o Planalto e aguarda retorno.