Líder do DEM quer que Supremo convoque reunião de todos os poderes

Segundo Efraim Filho, o diálogo incluiria a participação de Bolsonaro

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
19 de abril de 2020 às 21:14
O deputado Efraim Filho, líder do DEM na Câmara (7.fev.2017)
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Horas depois do discurso do presidente Jair Bolsonaro em manifestação favorável a um golpe militar, o líder do DEM na Câmara dos Deputados, Efraim Filho, disse à CNN que vai propor que o Supremo Tribunal Federal convoque um diálogo entre todos os poderes. A medida, que busca evitar o aprofundamento da crise política, será apresentada nesta segunda (20), em reunião de líderes dos partidos.

Para ele, a possibilidade de o diálogo ocorrer no STF seria "bem simbólica" diante do que classificou de "ruído de intervenção versus impeachment [de Bolsonaro]". De acordo com Efraim, é hora "de quebrar o retrovisor e parar de olhar para trás. Esquecer os conflitos, serenar os ânimos e procurar criar um mínimo consenso nacional".

O líder do DEM (partido de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, respectivamente) diz que a hora é de união. "Já temos crise na saúde, na economia, e não precisamos agora de nova crise política. Qualquer nação no mundo está se esforçando para juntar os seus pedaços e agir de forma conjunta para enfrentar um inimigo comum, o coronavírus", disse.

Segundo Efraim, o diálogo incluiria a participação de Bolsonaro: "A sociedade brasileira espera que seus líderes e autoridades dos poderes sentem à mesma mesa e foquem na solução. Não nos problemas", afirmou.