Troca de comando na PF expõe vulnerabilidade, diz delegada

Em entrevista à CNN, presidente de associação disse que estabilidade na instituição é fundamental

Da CNN, em São Paulo
25 de abril de 2020 às 10:35

A troca do diretor-geral da Polícia Federal evidencia a vulnerabilidade da instituição, segundo a presidente da Associação Nacional dos Delegados (PF-SP) Tânia Fernanda Prado Pereira. Em entrevista à CNN, ela disse que a substituição de Maurício Valeixo, exonerado na sexta-feira (24), por Alexandre Ramagem, deixa clara a falta de estabilidade da Polícia Federal.

"Defendemos, há muito tempo, que a Polícia Federal tenha estabilidade, e não foram poucas as vezes em que a instituição passou por tentativas de ingerência, de mudança de diretor-geral. Se somarmos, nos últimos anos, foram 4 diretores-gerais em sequência", afirmou.

Tânia disse que as tentativas de intervenção na PF são significativas porque o órgão é responsável pelas investigações em que o estado é vítima. "A PF é justamente a polícia judiciária da União. Então o minímo de estabilidade seria necessário. Numa situação como essa fica bem evidente a vulnerabilidade da Polícia Federal."

A presidente da associação também afirmou que o novo diretor-geral da PF, Alexandre Ramagem, assumirá com uma missão em curso: as aprovações no Superior Tribunal de Justiça de PECs ligadas à categoria.