PGR extingue Secretaria de Direitos Humanos

Todas as áreas do Gabinete do PGR deverão promover a adequação ao novo regimento no prazo de 60 dias a partir da publicação

Gabriela Coelho Da CNN, em Brasília
26 de abril de 2020 às 14:06 | Atualizado 26 de abril de 2020 às 14:06
O jurista Augusto Aras, atual procurador-geral da República
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O procurador-geral da República, Augusto Aras, extinguiu da Secretaria de Direitos Humanos e da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) - que terá suas atribuições mantidas pela Assessoria de Articulação Parlamentar (Assart). Todas as áreas do Gabinete do PGR deverão promover a adequação ao novo regimento no prazo de 60 dias a partir da publicação.

A Secretaria é comandada pelo procurador da República Ailton Benedito de Souza, procurador-chefe do Ministério Público Federal em Goiás. Ele havia sido convidado pelo governo de Jair Bolsonaro para assumir uma cadeira na Comissão de Mortos e Desaparecidos, mas foi vetado pelo Conselho Superior do Ministério Público Federal, por meio de voto decisivo proferido pela então PGR Raquel Dodge.