Artigo de Mourão divide opiniões no STF

Marco Aurélio disse à CNN que subscreveria o artigo; para outro ministro, Mourão parece querer provocar uma divisão no país

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
14 de maio de 2020 às 22:57
O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB)
Foto: Reprodução/CNN


O artigo do vice-presidente Hamilton Mourão em que ele fez críticas à Justiça, a governadores e à imprensa gerou diferentes reações no Supremo Tribunal Federal. No texto, Mourão chegou a falar em "usurpação das prerrogativas do Poder Executivo". 

O ministro Marco Aurélio disse à CNN que subscreveria o artigo, publicado nesta quinta (14) no jornal 'O Estado de S.Paulo'. Outro integrante do STF, que pediu para não ser identificado, foi na direção oposta.

Segundo este ministro, o governo tenta transferir a culpa dos problemas que não consegue resolver, como os relacionados à epidemia do novo coronavírus.

Ressaltou que não há qualquer perseguição de outros poderes ao presidente Jair Bolsonaro. Citou que, nesta semana, o plenário do STF confirmou a decisão do ministro Alexande de Moraes que, por conta da pandemia, autorizara o governo a ultrapassar limites previstos no orçamento e pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Para o ministro, ao criticar governadores de maneira dura, Mourão parece querer provocar uma secessão (divisão) no país. Em sua opinião, as mudanças no projeto de ajuda a estados e municípios tinham o objetivo de prejudicar as finanças de São Paulo. "O governo parece tentar sufocar São Paulo, viabilizar uma intervenção no estado", disse.

Já o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, classificou de "autoritário" o texto de Mourão. Diz que, no artigo, o vice-presidente põe a culpa em governos e instituições, mas poupa o governo federal, que Santa Cruz classifica de "o mais incompetente da história".