Major Olimpio e Aloysio Nunes debatem crise entre poderes

Senador do PSL e ex-senador do PSDB analisam investigações no STF sobre notícias falsas

Da CNN, em São Paulo
29 de maio de 2020 às 14:46 | Atualizado 29 de maio de 2020 às 15:10

O senador Major Olimpio (PSL) e o ex-senador Aloysio Nunes (PSDB) debateram nesta sexta-feira (29), na CNN, a crise entre poderes após a operação da Polícia Federal dentro do inquérito sobre fake news conduzido pelo STF (Supremo Tribunal Federal). 

Aloysio Nunes defendeu o inquérito sobre fake news, as quais chamou de "praga à democracia", e criticou o comportamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) diante do caso.

"Cachorro que late, às vezes morde mesmo", disse. "É uma questão até de segurança pública. O confronto do presidente com o STF também não é novidade."

Major Olimpio defendeu as investigações, com a ressalva da participação do Ministério Público como fiscal da lei. "Temos quadrilhas cibernéticas que podem ter sedes dentro do próprio Palácio do Planalto", disse.

Leia também:

Alexandre de Moraes pretende usar provas das fake news no TSE

PF coibiu 'pandemia digital', diz presidente da CPMI das fake news

Limites e equilíbrio

Aloysio Nunes defendeu o estabelecimentos de limites entre os poderes e dentro da atuação de cada um deles.

"Tem coisa que o presidente e os ministros não podem fazer. Eu já participei de várias reuniões ministeriais, é o mais alto nível de deliberação da República. Você não pode chegar lá e falar palavrões", afirmou. "Falta uma reação dos partidos políticos a fim de estabelecer limites."

Para Major Olimpio é necessário buscar um equilíbrio.

"Estamos numa crise de saúde pública e econômica. Não sabemos o tamanho do desfecho. Nós não podemos ver qual é o braço de força ou quem é maior neste momento", afirmou.

Segundo o senador do PSL, as liberdades de expressão continuam sendo asseguradas, e as Forças Armadas seguem a Constituição.