Flávio Bolsonaro acompanhou do Rio operação que prendeu Queiroz

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador, foi preso nesta quinta (18)

Por Igor Gadelha, CNN  
19 de junho de 2020 às 08:06 | Atualizado 19 de junho de 2020 às 08:15
Senador Flávio Bolsonaro: ele acompanhou a operação que prendeu Queiroz do Rio de Janeiro
Foto: Adriano Machado - 16.jul.2019/Reuters

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) acompanhou do Rio de Janeiro a operação do Ministério Público (MP) que prendeu, nesta quinta-feira (18), o policial militar reformado Fabrício Queiroz, ex-assessor do parlamentar quando ele era deputado estadual.

Segundo fontes ligadas ao clã Bolsonaro, o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou à capital fluminense ainda na quarta-feira (17), um dia antes de a Polícia Civil prender Queiroz em Atibaia, no interior de São Paulo, e transferir o ex-policial para o Rio.

Interlocutores de Flávio informaram à CNN que a expectativa é de que o senador só retorne para Brasília nesta sexta-feira (19). Ontem, Frederick Wassef, dono do imóvel onde Queiroz foi encontrado e advogado de Flávio, viajou para o Rio de Janeiro. 

A prisão de Queiroz fez parte de uma ação conjunta entre o Ministério Público do Rio de Janeiro e o Ministério Público de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) dos dois estados.

Ela foi determinada com base na investigação que apura participação de Queiroz em esquema de  “rachadinha”  — termo usado para apontar a prática de coagir servidores a devolver parte de seus salários — quando ele trabalhava como assessor de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio.