Celso nega pedido de bolsonaristas e mantém Joice em secretaria da Câmara

Parlamentares apoiadores de Jair Bolsonaro alegavam que a nomeação da deputada do PSL-SP promoveria 'a captura política da Comunicação da Casa Legislativa'

Daniel Adjuto
Por Daniel Adjuto, CNN  
26 de junho de 2020 às 21:37
A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP)
Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, negou pedido de dez parlamentares bolsonaristas para afastar a deputada Joice Hasselmann (PSL) do cargo de secretária de Comunicação da Câmara dos Deputados.

Os parlamentares, que são apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, alegavam que a nomeação de Joice promoveria “a captura política da Comunicação da Casa Legislativa” para atuação “em prejuízo de adversários políticos”. No pedido, o grupo cita reportagem da CNN em que ex-funcionários da deputada a acusam de produzir fake news e orientar ataques a deputadas do partido nas redes sociais.

Leia também:

Senado adia votação do PL das fake news para semana que vem

Joice Hasselmann assumiu a Secretaria de Comunicação por designação de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, após a parlamentar deixar a liderança do PSL na casa. Apesar de correligionários, Joice rompeu com Jair Bolsonaro e integra o grupo contrário ao presidente.

Na decisão, o ministro afirma que os dez deputados não apresentaram provas de que Joice Hasselmann valeria-se do cargo para desviar os objetivos da Secretaria de Comunicação para perseguição de adversários. As alegações do grupo, segundo Celso de Mello, são "impregnadas de sentido absolutamente genérico e aparentemente desvinculadas de base empírica idônea".

O decano do STF argumentou ainda que o Judiciário não pode intervir em ato do Legislativo sob o risco de violar a separação dos Poderes.