FGV diz que comissão vai avaliar questionamentos sobre tese de Decotelli

Indicado ao Ministério da Educação foi acusado de plágio em dissertação de mestrado

Anna Satie, da CNN, em São Paulo
30 de junho de 2020 às 18:59
O economista Carlos Alberto Decotelli da Silva fala aos jornalistas
Foto: CNN (25.jun.2020)

A FGV (Fundação Getúlio Vargas) informou nesta terça-feira (30) que criará uma comissão específica para avaliar as denúncias de plágio na tese de mestrado de Carlos Alberto Decotelli. 

"A FGV reitera a informação prestada anteriormente de que está apurando os questionamentos referentes à dissertação de mestrado do professor Decotelli", disse a instituição em nota. "Conforme a praxe do meio acadêmico, a FGV vai criar uma comissão específica para avaliar os fatos."

Leia também:

FGV diz que Decotelli não foi seu professor efetivo

Carlos Alberto Decotelli confirma saída do Ministério da Educação

O ex-ministro negou as acusações nesta segunda-feira (29), mas disse que pode ter havido "distração". "Quando você lê muitos livros, você tem de ter uma disciplina mental de escrever, revisar, citar e mencionar. Você fica mencionando, registrando e ponderando. É possível haver distração, sim", disse. "Hoje tem mecanismo, mas naquela época, pela distração... Não houve plágio. Plágio é ctrl+C e ctrl+V”.

Decotelli entregou sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro nesta tarde, cinco dias após ter sido nomeado ministro da Educação. Ele não chegou a ser empossado.

Após a descoberta de várias inconsistências em seu currículo, ele disse à CNN que sua permanência no cargo ficou "inviável".