Procuradores manifestam apoio a órgão e pedem redistribuição de forças-tarefas

Projeto que cria a Unidade Nacional de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Unac) é apoiado

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
10 de julho de 2020 às 18:24 | Atualizado 10 de julho de 2020 às 18:37
Sede da Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil


Integrantes de forças-tarefa e grupos de trabalho de investigação do Ministério Público Federal manifestaram à Procuradoria-Geral da República apoio ao projeto que cria a Unidade Nacional de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Unac) e pediram uma melhor distribuição das equipes de investigadores país afora.  

Parte dos investigadores lotados em unidades-chave da federação, como São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, avaliam haver uma hipertrofia da força-tarefa de Curitiba em relação à outras unidades da federação. Hoje, a força-tarefa de Curitiba tem 14 procuradores. São Paulo tem 8 e Rio de Janeiro 
tem 10. 

Leia também:

Conselho do MP opera para adiar órgão de Aras

Decisão de Toffoli irá atrasar e dificultar investigações, diz ex-coordenador da Lava Jato

Aras diz que avaliará demissão de secretário-geral do MPF que criticou Lava Jato

Além disso, procuradores lotados nas unidades da federação têm dito que a criação do banco de dados pode melhorar o combate à corrupção no país na medida em que os estados poderão compartilhar dados entre si. Há ressalvas, porém, ao formato, o que tem feito que alguns estados façam sugestões para aprimorar o projeto. 

A proposta vem sofrendo resistência expressa de boa parte da categoria, mas foram feitos contatos recentes de procuradores lotados nos estados com a cúpula da PGR. Eles manifestaram não só apoio a criação da Unac, como também pediram uma melhor distribuição das equipes das forças-tarefas pelo país.