Moraes concede acesso da PF a dados que fizeram Facebook banir bolsonaristas

Ministro autorizou análise e uso de provas obtidas pela rede social tanto no inquérito que apura a disseminação de notícias falsas e ameaças contra o STF

Daniela Lima e Gabriela Coelho, da CNN, em São Paulo e em Brasília
15 de julho de 2020 às 12:31 | Atualizado 15 de julho de 2020 às 14:47

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, atendeu pedido da Polícia Federal e determinou que o Facebook franquie acesso dos investigadores aos dados que levaram a rede social a suspender dezenas de contas de assessores e aliados da família Bolsonaro na semana passada. 

Segundo a CNN apurou, o ministro autorizou a análise e uso de eventuais provas obtidas pela rede social tanto no inquérito que apura a disseminação de notícias falsas e ameaças contra ministros do Supremo, como no que investiga a organização e o financiamento de atos antidemocráticos. A decisão foi tomada na semana passada. 

Leia mais:
Perícias do inquérito das fake news devem ser concluídas em breve, diz Moraes
Aras se manifesta contra suspensão da CPMI das fake news
Alexandre de Moraes prorroga inquérito das fake news por mais 180 dias

O jornal "Folha de S. Paulo" revelou em sua edição desta quarta (15) que a PF havia solicitado acesso aos dados do Facebook. A rede social anunciou na semana passada que havia deflagrado uma operação global para banir contas cuja atividade viola prerrogativas da empresa, apresentando atividade inautêntica.

Entre os alvos do Facebook estão assessores de deputados do PSL aliados a Bolsonaro e assessores da família e do próprio Palácio do Planalto.